Testado: Pró Hidrat da Payot

 

Olá meninas!

Desde muito pequena comecei a ter interesse nesse mundo maravilhoso dos cosméticos. Nào perdia a oportunidade de ir na casa daquelas vizinhas peruétes para que elas me maquiassem e eu voltasse toda rebocada pra casa, super me achando. Algumas marcas ficaram gravadas na minha mente, pois foram os produtos da minha mãe, aqueles que tive o primeiro contato com esse universo de marcas, texturas, cores, fragrâncias e muito mais.Dentre elas, Payot e Max Factor, que minha mãe tinha aos montes.

A Payot existe desde 1953 e, olha que maravilha, é 100% brasuca e acumula um montão de produtos pra lá de cativantes. Durante minha gestação, usei o Maternité para previnir estrias e não apareceu uma sequer. O hidratante tem um cheirinho ótimo, para futuras mamães ou qualquer menina que curtam aquele cheirinho delicado de quem recém saiu do banho.

Hoje vou falar do shampoo e condicionador recém adquiridos: Payot Pro-Hydrat – reparação total. Promete, como zilhares no mercado, regenerar os fios. E lá vou eu de novo, na esperança de devolver o movimento para o meu cabelo  que desafia, com sucesso, a lei da gravidade (pontas  estáticas ).

Pois bem, usei três vezes apenas e gostei do resultado. Até porque, a  R$ 23,50 cada, não poderiam decepcionar. A textura é meio ‘gelatinosa’ e aspecto perolado (à moda elséve). O meu cabelo durou  bastante tempo limpo e, no dia seguinte (thanks  God!!) não ficou  com a raiz oleosa e a franja  grudada na testa (emo style).

Interrompi o uso do shampoo  da Payot para iniciar com o Boticário ‘for men’ de cabelos grisalhos. Ainda bem que a maioria dos tiozões grisalhos mantém suas perucas curtas, pois esse desamarelador do Boti ressecou geral meu cabelo. Eu que estou falling in Love again pelo Boticário,  gostaria que existisse a versão for woman  e que desse aquela hidratada, néam?Mas isso é assunto pra outro post.

Então, se alguém já usou  Payot, dê a dica.

Beijos,

Sabrina Sganzela– Correspondente  Especial