Beauty Fair e Webjet

em Sem categoria

 

Sim, o que eu mais queria nesse final de semana era ter ido à Beauty Fair. Fui convidada pela Seda (Unilever) para fazer toda a cobertura do evento para o blog e as redes sociais. Estava pulando de felicidade, afinal, uma marca acreditou no meu trabalho e havia me dado a oportunidade que eu tanto queria.

Recebi minhas passagens, minha reserva de hotel e até o nome do motorista que ficaria à minha disposição. Achei o máximo, porque era tudo bem organizado, estava tudo certo. Fiz minhas malas pink e fui para o aeroporto. Meu vôo havia sido cancelado por causa da neblina , nem entreguei malas no balcão da companhia e fiquei pra lá e pra cá, tentando achar um avião pra mim.

Nunca vi o balcão de uma companhia aérea com uma atendente só, e esta com um humor péssimo, despreparada, nervosa e ainda não sabia atender um de cada vez. Milhares de informações desencontradas, chamo a Infraero e um rapaz transtornado e debochado sai rindo do setor de embarque perguntando o que eu quero que ele faça. Apesar da pergunta sem nexo, respondo calmamente que quero viajar e ir para o meu compromisso. Só isso. Como se não fosse exatamente o que eu queria quando cheguei lá.

Enquanto isso, um rapaz desconhecido estava filmando toda esta cena. Não sei porque, mas com todos os vôos atrasados (mais de 14 ao todo, de várias companhias), era 11h da manhã e no balcão da Webjet tinha tanta gente, que parecia que ninguém havia conseguido viajar. Via pessoas querendo ir para Salvador, Rio, Curitiba  e eu só querendo chegar no Aeroporto de Guarulhos para ir para minha feira de cosméticos.

Eu fui tão maltratada, me senti tão mal como consumidora, pois já era mais de 11h30 (eu deveria ter embarcado 7h30), e ninguém tinha uma solução. Para me colocar em um vôo pela tarde, a Webjet queria cobrar mais R$ 330. Assim, eu teria um horário garantido para embarcar. Caso não quisesse pagar, teria que esperar os vôos da Tam (que tinham alguns lugares disponíveis) para poder ver em qual conseguiriam me encaixar. A previsão de eu conseguir embarcar pela outra companhia aérea era só lá pelas 16h se tivesse lugar, já que era uns 20 lugares no máximo por vôo. Haviam seguramente mais de 300 pessoas enlouquecidas no balcão, muita gritaria, escândalos e gente despreparada.

Cancelei tudo, desisti de ir e não fui na feira. Perdi oportunidade de contatos, o trabalho que deveria fazer, a oportunidade de rever as amigas e o passeio. Estragaram meu passeio com tamanha falta de competência. Sem exceção, aqui em Porto Alegre, não fui atendida por ninguém da companhia Webjet que tenha sido cordial e educado. Vi que nessa companhia aérea, o consumidor nada mais é do  uma somatória de dinheiro na conta da empresa.

Graças à Webjet, não fui na Beauty Fair. Mas não desisto. Na próxima eu vou. Com uma companhia aérea decente que trate o cliente com educação e que resolva qualquer problema quando houver.

Webjet, sinônimo de péssimo atendimento. Jamais recomendaria.

Beijo.