E agora, quem paga a conta?

Post por em cultura

O que me motivou a escrever aqui sobre isso foi o fato de ter sido questionada por uma conhecida por ajudar meu marido nas despesas da casa, como sempre fiz. Ela me disse que isso não era certo, uma vez que o dinheiro dela era só para gastos com ela, e que eu não precisava ajudar em casa, haja visto que isso era um dever do homem.

Tudo seria normal, até porque cada um cuida de si.Mas não é o que acontece. Vejo pessoas que optam por esse modelo de vida chateadas quando outros fazem as coisas, se divertem e compram as coisas. Gera uma frustração que muitas vezes só recai sobre as costas do homem, que não conseguiu ganhar mais para satisfazer os desejos de sua esposa.

Achei interessante e incorreto. Pelo menos no meu ponto de vista. Sendo o casal em questão de origem humilde (como eu sou) , vejo que se as esposas  ajudassem em casa, eles teriam mais coisas, mais progresso, já que só  os maridos  não dão  conta de prover tanto as necessidades quanto o lazer. E isso não é regra, é só a minha opinião. Eu vejo que se eu ajudo meu marido com recursos, nós dois podemos progredir, nós dois podemos nos divertir mais, já que são duas fontes de renda, ao invés de uma.

grana_0

Claro, que se fosse em uma situação em que o marido fosse extremamente rica e eu com um emprego mais simples, ganhasse infinitamente menos, até entenderia o cara querer pagar tudo. Mas, ainda assim, me conhecendo bem, eu ia querer pagar algo que coubesse no meu orçamento, sozinha. Porque por mais que pareça bobo, eu gosto de ter meu lado independente e de me sentir útil.

E não falo  isso porque sou pobre, mas sim porque me considero consciente. Ah, é legal quando um cara paga a conta. Claro que é! Mas também é legal quando você divide , quando se oferece. Parece que você também quer agradar, mostrar que o outro é importante. Eu me sinto assim.

Não me importo de rachar a conta, de pagar a conta inteira de vez em quando e que paguem a conta toda também. Desde que isso não seja uma convenção, uma regra, um crime. E acho meio estranho ainda nos dias de hoje, ver mulheres que não são abastadas, dizendo que homem que paga tudo.

Na minha opinião, se os dois se ajudam, os dois progridem. Homem com mulher, mulher com mulher, homem com homem. Um casal, seja de qual gênero forem.

Não me importo de esticar a carteira e dizer de vez em quando, que hoje é por minha conta!

E vocês, o que pensam a respeito? A mulher ajuda a pagar ou não, quem deve pagar é só o homem?

Beijos,Pri. 

16 comentários Comentar via blog

Comentários via facebook

Comentários via blog

  1. Nita

    Gente, pelo amor de Deus, que século vive essa pessoa?
    Machismo puro.
    Em casa, eu e meu maridex ganhamos praticamente a mesma coisa e as contas são divididas meio a meio. Uma época, ele ganhava muito mais do que eu, então era proporcional, mas nunca agi dessa forma. Só fui sustentada por um homem: meu pai.

    Responder
    1. Em 1850, Nita. Hahaha! Não, antes ainda, no Brasil Colônia. Eu também não acho que homem ou mulher ou seja lá quem for deve nos sustentar, a não sermos nós mesmos. Acho que não te deixa ser dono do teu nariz, o que tanto é almejado na nossa infância. Ser adulto implica pagar suas contas, este é o meu pensamento.
      Beijos!

  2. Tati Cardoso

    Pri, a questão da igualdade de direitos também passa pela divisão das responsabilidades. Esta conhecida tua é machista, pensa que o seu sustento é obrigação de um terceiro…Ela também deve ser conivente com o fato de o serviço doméstico ser uma obrigação da mulher enquanto o homem deve correr atrás do sustento… Triste isso, porque uma das diversas consequências deste tipo de raciocínio é a mulher ganhar menos no mercado de trabalho e ainda ter uma jornada duas vezes maior em 70% dos casos (além do emprego tem a rotina doméstica/filhos e estuda mais anos do que os homens). Achei muito legal tua reflexão, pois abre o debate em um espaço feminino (em sua maioria), mesmo pensando um pouco diferente (não acho que só a conquista de bens, propriedades e afins devam ser o objetivo da divisão da vida, a vida é conjunta, tudo é conjunto: conta, casa, prazer, obrigações, diversão,,,). Acho que o buraco é um pouco mais embaixo, não é só o “ajudar a pagar” , é importante que tenhamos consciência de que não é obrigação de ninguém nos sustentar e que independência traz muitas obrigações, mas os benefícios da liberdade são infinitos. Desculpa se me alonguei demais, beijão flor.

    Responder
    1. Tati, tu não tem noção do quanto eu amo quando vocês comentam, jamais peça desculpas por isso e o faça seeeempre que quiser!
      Então, eu acho que a questão da liberdade que a independência traze que tocaste tão em no assunto, é infinitamente indescritível. Porque nada paga ver a conquista dos direitos de igualdade no mercado de trabalho, a liberdade sexual, que algumas mulheres já conquistaram. estamos muito aquém do que é preciso para mudar as coisas, mas vejo alguns progressos já. Machismo em gente velha já é ruim, mas é algo que a sociedade da época impunha. Mas em jovens? Me dói. Não prego feminismo, não prego machismo. Prego igualdade.
      E entender que ninguém tem obrigação de nos sustentar é o mínimo para que nos consideremos adultos. Um beijo enorme.

    2. Eu penso assim também Tati!!!

    3. Beijo, Vê! 🙂

  3. Juliana

    “Ela me disse que isso não era certo, uma vez que o dinheiro dela era só para gastos com ela, e que eu não precisava ajudar em casa, haja visto que isso era um dever do homem.”
    kkkkkkkk Acho que isso foi a coisa mais absurda que já li na vida.
    É óbvio que tem q dividir!
    Acho que essa tua conhecida é meio interesseira rss

    Responder
    1. pois é… pessoas e pessoas… mundo louco! hahaha! Beijocas!

  4. Dri

    Eu não entendo porque razão certas pessoas emitem a opinião sem que esta seja solicitada. Acho que vou criar polêmica, mas eu adoraria ser dondoca! Sério! Shopping, academia e cuidar da casa e ter tudo do bom e do melhor? Sonho! Infelizmente não consegui um marido rico enquanto era nova e após os 30 fica beeem mais difícil! ahahaha Mas se por acaso tivesse casado com um cara com renda não tão avantajada, é claro que dividiria tudo, pois como vc mesmo disse, juntos a gente progride, cresce! Acho muito egoísmo saber que o cara não ganha lá essas coisas e ficar se escorando. Mas cada um é cada um né? E tem gente pra tudo!

    Responder
    1. Dri, tem aos montes por aí! hahahah! Não tem porblmea polemizar, desde que tu não ofenda ninguém, isso é o de menos. Discussões sadias são boas! Sei lá, eu mesmo se fosse ricona assim, ia querer achar nem que fosse um trabalho voluntário pra fazer. Sei lá, mas é o meu pensamento. Não perde as esperanças não, depois dos 30 tem muita gente que fica melhor! Sim, eu também acho que se o cara não ganha tão bem, não tem como ninguém se escorar. hahah! beijoca!

  5. Tati Torres

    Pri eu penso como vc, já fui casada e na época ele tinha um salário razoável e como tinhamos casa própria ele bancava todas as despesas, mas hje namoro e não vejo problema em dividir algumas coisas e se morarmos juntos vai continuar assim pois ele ganha tanto qto eu. É melhor dividir as despesas e ter as finanças controladas. Qdo vc divide amplia as possibilidades e é mais fácil para conseguir as coisas q queremos.

    Responder
    1. Tati, é aquela história do “juntos somos mais” , as pessoas não pensam assim e não são obrigadas. Mas, também vir com machismo em pleno 2014, não. temos que progredir. hahaha! Beijos

  6. Fernanda

    Nossa, que absurdo…a menina estuda anos, vai pra faculdade, se forma, pra depois ficar em casa lavando louça, tendo que pedir dinheiro pro marido até pra comprar uma calcinha? Me poupe, né…
    Pensamento de gente que não evoluiu, nem psicológicamente nem financeiramente. Sim, pois eu quero mais é somar nossos salários e morar num lugar bom, com um carro novo, comendo em bons restaurantes, viajando, comprando boas roupas…e isso, na grande maioria das vezes, só é possível quando os dois trabalham. Não, eu não quero ficar em casa lavando louça, tirando pó, passando roupa, enquanto meu marido trabalha…eu quero é ser independente, pra não ter que ficar num casamento sem amor por não ter pra onde ir se quiser me separar, como vemos por aí…quero que meu marido tenha orgulho de mim, do meu trabalho, da minha independência, da minha inteligência….
    Afff, desculpa me prolongar tanto, é que tem pensamentos que me tiram do sério…

    Responder
    1. Oi Fê, também acho meio absurdo,mas cada um sabe de si. Sabe, muitas meninas deixaram de assinar o feed do blog depois deste post… eu não fiz para ofender, fiz pela reflexão, pelo debate, mas tem gente que se ofende com opiniões contrárias. Eu também quero somar, quero trabalhar e meu marido se orgulha e muito do meu trabalho e da minha garra. Ele se orgulha em ter uma mulher batalhadora ao lado. Beijocasss

  7. Jana Ribeiro

    Concordo com você Pri, quando trabalhava mesmo ganhando muitoooo menos que ele sempre assumi alguma despesa da casa ,nem que fosse as contas básicas como água e luz ,me sentia feliz por também estar provendo meu lar …somos um casal ..manter a casa é responsabilidade dos dois …e acho importante o casal ter essa consciência, assim conseguem progredir mais rápido.
    E não te aborreça com opiniões alheias, só você é o Rafael sabem o que querem e onde querem chegar.
    Beijão !!

    Responder
    1. Oi Jana, eu sei que a gente sempre pensou muito parecido. Não é à toa que somos amigas a taaaantos anos (acho que mais de 16, correto?) Consciência é essencial para o progresso. Seja ele em que velocidade for:) Beijocas

Deixe um comentário