Categoria: Pensamentos

A “eterna” polêmica do Photoshop

Desde que o mundo fotográfico é mundo nos grandes comerciais e afins, o ‘senhor’ Photoshop sempre reinou, e ele não é segredo pra ninguém. Kim Kardashian, além de adepta da maquiagem super contorno/iluminação, também AMA essa ferramenta.

Semana passada foi um fuá quando vazou essa foto:

foto 2

A super bunda, a cinturinha mais que perfeita, a cor, enfim, tudo. Quando se fala na Kim, sabemos que virá um grande marketing em cima. Mas depois de toda humanidade MORRER DE INVEJA, se rasgar, eis que vaza a foto verdadeira, sem retoques.

foto 1

E preciso confessar que não me senti aliviada com essa verdade. Ela pode não ter o Master bundão, a cinturinha mais fina do mundo, o bronze perfeito, mas gente, é linda igual! Se eu tivesse aquele corpo, gentem de Deus meu, tava feliz. Mas como nossa sociedade é cruel e só exige perfeição cada vez mais, claro que a moça foi execrada.

Não entendo muito a utilidade da Kim Kardashian, o que ela faz de relevante, mas ela é muito bonita, e acho tão essa conversa  toda em torno da mexida em fotos,
Enfim, se nem ela é “perfeita”, vamos relaxar mais, tranquilidade, porque somos belos do nosso jeito, e menos julgamentos!

Beijos, Nanda Biazetto

De um limão se faz uma limonada

E é com essa frase piegas e super conhecida que começo o post, que me fez dar uma chacolhada nos pensamentos e nas minhas atitudes nos últimos tempos.

Quem assistiu a novela Império da Rede Globo ontem, viu que Maria Clara foi abandonada no dia do casamento pelo seu noivo. Ela poderia ter ficado mal humorada, ter feito chororô eternamente, ter se feito de vítima, mas não. Foi mulher de verdade, colocou as coisas em “pratos limpos” e decidiu continuar a festa, mesmo sem casamento, mesmo sem noivo. Convidou as pessoas para celebrarem a vida e que no futuro, algo de melhor estaria reservado pra ela.

Coisa de novela? Talvez. Mas não deveria ficar só restrito a cenas de novela, deveria também fazer parte da nossa vida, né? Este tipo de atitude nos dá força pra seguir em frente, continuar e buscar um futuro melhor.

Quantas vezes não nos fizemos de vítima e nos perguntamos “Mas por quê comigo?”. Invés de buscarmos soluções, ficamos querendo entender porque nos acontece algumas coisas. Olha, não adianta entender o motivo, na maioria das vezes. Tem que solucionar, tem que tentar sair da fossa o mais breve.

Seja em relacionamento, seja com doenças, seja com trabalho. Tenho aprendido a me reinventar. Já perdi emprego tantas vezes, já tive pouca coisa pra comer, já atrasei contas. Sou real e não crio uma atmosfera de glamour em torno do blog e nem de mim. Vocês sabem como é minha vida, gosto de coisas boas, mas nem sempre dá para tê-las. E não falo isso para “mimimizar“, falo porque é a minha história de vida, a minha verdade. Mas nunca fiz disso motivo para chororô. Pelo contrário, me esforço a cada dia para deixar estas lembranças de tempos menos fartos lá longe. E em relacionamentos? Já levei tanto pé na bunda…

limonada suica

E vou dizer pra vocês, minhas queridas leitoras, tem nada nesta vida sem solução. Só a morte e olhe lá. Sabe, de repente, ainda dá pra gente se encontrar com nosso queridos entes depois, um dia no céu, em outro plano, sei lá. Depois que a minha mãe teve aquela doença sem cura, aprendi que nada na vida valia meu choro. Que nada na vida valia meu desespero.

Se fiquei fria ou deixei de amar? Não. Muito pelo contrário. Hoje amo tanto ou mais as pessoas que me cercam. Mas somente as que me tratam bem e me fazem bem. Não perco mais tempo com quem não perde tempo comigo. A maturidade nos traz isso.

E a vida nos dá um limão a cada dia. Nós temos que  escolher se jogamos fora o limão, se comemos ele puro e azedo ou se fizemos uma bela e saborosa limonada.

Tenho me esforçado para fazer a limonada diariamente. Tente fazer você também, não desista da sua vida por causa dos outros. NUNCA!

Se você quiser ver a cena da novela que me fez refletir um pouco, clique neste link. Eu não consegui incorporar o vídeo ao post, porque está no site da Globo. 

Beijos, Pri

 

Entrega do presente de 6 anos do blog

Ontem foi o dia em que entreguei para a leitora Bruna Capiotti o seu presente do sorteio feito em parceria com a Época Perfumaria pelos 6 anos do Shampoo de Laranja.

Como ela morava relativamente perto, preferi não enviar pelos Correios e a convidei para um café em uma cafeteria, assim, conversamos, batemos um papo e ela ficou bem feliz com seus presentes novos.

De tanto que vocês falaram que o perfume Angel era bom  (eu nunca tive um), pedi pra ela abrir a embalagem e me deixar sentir o cheiro.Tri metida a pessoa aqui, né?

Mas gente, que magnífico! Já entrou na wishlist super! E o Aura da Swarovski é de ryco, simplesmente não tem outra descrição, amei também!

Aqui estou eu, pronta para ir encontrar com a leitora. Ontem era dia de cabelo bom! Hahaha!

Fiquei feliz pelo papo, por poder ter contato com a leitora, por dar umas risadas na minha tarde de quarta.

Tá aí, uma leitora feliz com seus presentes!

Em breve, mais um sorteio por aqui, fiquem ligadas!

Beijos e obrigada Época perfumaria, Clarins, Miss Mag, Thierry Mugler e Swarovski.

Pri

Músicas do início da década de 2000 que eu (ainda) adoro ouvir

E lá venho eu, descendo o morro das músicas nostálgicas, né?

Mas não adianta, tem músicas que eu me apego mesmo. Hoje o post é em especial para aquelas músicas chiclete que tocavam nos quase extintos programas de clipes musicais e nas rádios.

Vejam as minhas escolhidas:

Jojo- Too little too late: A loirinha Jojo com seu hit chiclete embalava minhas tardes de caminhada.

Chris Daughtry- Home:  Cada vez que o via, tinha certeza que ganhar o American idol ou ser um dos finalistas era bom demais. E sonhava com um lugar ao sol no mundo da música.

Carrie Underwood- Before He cheats : Como uma música sobre traição pode fazer tanto sucesso. E o que ela faz no clipe, é bacana. Hahaha!

Jordin Sparks- No air: Vi toda a sua trajetória no American Idol e ficava doida cada vez que ela cantava. Que voz!

Pussycat Dolls- I hate this part: Sempre amei as músicas dançantes do grupo, mas essa, em especial me chamou atenção. Mostra bem o potencial vocal da Nicole, a vocalista.

Kelly Clarkson – Breakaway : E eu cantava a planos pulmões ” OOut of the darkness and into the sun,but I won’t forget the place I come from (…)”

Fergie- Big Girls Don’t Cry: Lição para mocinhas não ficarem chorando por aí.

E vocês, também curtiam essas músicas ou gostavam de outros estilos? De quais artistas da época vocês lembram?

Beijos, Pri.