Tag: Pensamentos

De um limão se faz uma limonada

E é com essa frase piegas e super conhecida que começo o post, que me fez dar uma chacolhada nos pensamentos e nas minhas atitudes nos últimos tempos.

Quem assistiu a novela Império da Rede Globo ontem, viu que Maria Clara foi abandonada no dia do casamento pelo seu noivo. Ela poderia ter ficado mal humorada, ter feito chororô eternamente, ter se feito de vítima, mas não. Foi mulher de verdade, colocou as coisas em “pratos limpos” e decidiu continuar a festa, mesmo sem casamento, mesmo sem noivo. Convidou as pessoas para celebrarem a vida e que no futuro, algo de melhor estaria reservado pra ela.

Coisa de novela? Talvez. Mas não deveria ficar só restrito a cenas de novela, deveria também fazer parte da nossa vida, né? Este tipo de atitude nos dá força pra seguir em frente, continuar e buscar um futuro melhor.

Quantas vezes não nos fizemos de vítima e nos perguntamos “Mas por quê comigo?”. Invés de buscarmos soluções, ficamos querendo entender porque nos acontece algumas coisas. Olha, não adianta entender o motivo, na maioria das vezes. Tem que solucionar, tem que tentar sair da fossa o mais breve.

Seja em relacionamento, seja com doenças, seja com trabalho. Tenho aprendido a me reinventar. Já perdi emprego tantas vezes, já tive pouca coisa pra comer, já atrasei contas. Sou real e não crio uma atmosfera de glamour em torno do blog e nem de mim. Vocês sabem como é minha vida, gosto de coisas boas, mas nem sempre dá para tê-las. E não falo isso para “mimimizar“, falo porque é a minha história de vida, a minha verdade. Mas nunca fiz disso motivo para chororô. Pelo contrário, me esforço a cada dia para deixar estas lembranças de tempos menos fartos lá longe. E em relacionamentos? Já levei tanto pé na bunda…

limonada suica

E vou dizer pra vocês, minhas queridas leitoras, tem nada nesta vida sem solução. Só a morte e olhe lá. Sabe, de repente, ainda dá pra gente se encontrar com nosso queridos entes depois, um dia no céu, em outro plano, sei lá. Depois que a minha mãe teve aquela doença sem cura, aprendi que nada na vida valia meu choro. Que nada na vida valia meu desespero.

Se fiquei fria ou deixei de amar? Não. Muito pelo contrário. Hoje amo tanto ou mais as pessoas que me cercam. Mas somente as que me tratam bem e me fazem bem. Não perco mais tempo com quem não perde tempo comigo. A maturidade nos traz isso.

E a vida nos dá um limão a cada dia. Nós temos que  escolher se jogamos fora o limão, se comemos ele puro e azedo ou se fizemos uma bela e saborosa limonada.

Tenho me esforçado para fazer a limonada diariamente. Tente fazer você também, não desista da sua vida por causa dos outros. NUNCA!

Se você quiser ver a cena da novela que me fez refletir um pouco, clique neste link. Eu não consegui incorporar o vídeo ao post, porque está no site da Globo. 

Beijos, Pri

 

Nós, mulheres, temos prazo de validade?

Não fiquem assustadas. Esse “prazo de validade” não veio da minha cabeça.  Aliás, tô até agora enojada pelo que li nos comentários da matéria feita pelo Clic RBS, portal aqui do RS. A matéria elogiava  a boa forma da atriz Letícia Spiller aos 41 anos. Até aí, ok. Mas os comentários masculinos me deram asco.

Um senhor , disse que as mulheres tem prazo de validade, que homens que mantém relacionamento com mulheres acima dos 35 anos, tem meninas de 20 por fora, para poderem se satisfazer. Não adianta estar em boa forma depois e certa idade, importa estar jovem. Segundo ele, claro. Que somos iludidas achando que nos querem após essa idade , que eles só querem as novinhas e nos enganam.

Já outro rapaz, é ainda mais radical: até 30 anos ou menos dá pra ficar  com alguma mulher, porque na casa dos 27, já não servem pra nada.

Só a mulher que envelhece? Não. 

Mas desde 1900 e guaraná de rolha, os homens acham que as mulheres mais velhas não servem para nada. Que as ninfetas que prestam. E a mídia tende a enfatizar isso e os famosos idem. Raros casais da mídia mantém seus relacionamentos longos. A maioria dos velhotes anda com moçoilas jovens, saradas, que em busca do amor, fama e dinheiro, aceitam ficar com eles. Se elas gostam, não vou criticar. Não estou dizendo que homem velho não presta, mas estou falando dos relacionamentos descartáveis.

Tá, mas e as quarentonas pegando novinhos, tu não vê? 

Vejo, mas geralmente elas tem melhor condição financeira do que os rapazes em questão. Nos bairros pobres, é bem escasso o número de mulheres casadas ou que mantém relacionamento com meninos mais jovens. Analise, eu pelo menos vejo isso.

E a crueldade com que as coisas são ditas, me enoja de tal maneira…Porque homem pensa que não envelhece, que não fica caído, que não fica enrugado, que não tem cabelo branco. Mas a gente ( e esse ” a gente” , somos eu, você a torcida de todos os clubes do Brasil e do mundo) contribui pra que eles se sintam assim.

Exemplo: 

  • Homens velhos com cabelos brancos: charmosos
  • Mulher velha com cabelo branco: desleixada ou assumiu a idade mesmo
  • Homem com mulher mais jovem: garanhão
  • Mulher com homem mais jovem: ‘quenga’
  • Homem com rugas: normal, olha a idade dele!
  • Mulher com rugas: relaxada, não se cuidou!
  • Homem com roupa desajeitada: ah, tadinho! Ele não tem gosto pra se arrumar ou uma mulher que o ajude
  • Mulher com roupa desajeitada: ai, que horror! Como pode andar na rua com uma roupa dessas?

Eu entendo que nós mulheres (nem todas, eu sei!) contribuímos pra esse pensamento machista, velho, de mente tacanha. Eu tenho trabalhado bastante para colocar não só na cabeça dos homens que convivo que nós não temos prazo de validade e que sim, eles também envelhecem, ficam enrugados e com o piu -piu mole.

Não sou feminista, menos ainda recalcada. Orgulho-me dos 31 anos que tenho, acho que estou ótima para minha idade e só queria ter uns quilos a menos, mas isso não me faz valer menos que ninguém.

Agora, se eu fico velha, se você fica velha, ok! E que bom que ficamos velhas, sinal que estamos vivas! Mas homem também envelhece, e alguns ficam muito enrugados. Nem por isso, os descartamos!

P.S: A matéria em questão está neste link. 

Você tem  prazo de validade?  Eu não. 

Aliás, tenho. Quando Deus quiser me levar embora. Aí sim, acabou minha validade. Até lá, valho e muito! 

Você também, sua linda! 

 

Muitas roupas de vários preços ou poucas, mas de marcas caras?

Eu tenho bastante roupa. Nem sempre foi assim, mas hoje confesso que é. E seria muito mais se eu criasse vergonha na cara e emagrecesse. Confesso que meu guarda roupas é abarrotado de peças em tamanhos menores, ainda com etiqueta, que comprei porque o preço tava bom e eu deveria emagrecer. Não vou doar essas, porque eu tenho que emagrecer. Vou doar sim, as de tamanho grande, pois eu hei de não precisar mais vesti-las. Fé!

Mas as minhas roupas atuais são de marcas comuns, Renner, C&A e lojinhas sem marca. Os tecidos são bons na medida do possível, dentro do preço que eu pago. Tento sempre pegar as melhores peças dessas lojas, mas há quem torça o nariz quando sabe que eu paguei R$ 60 numa calça e diga que  calça boa  só tem acima de R$ 200 ou até mais.

Tem também aqueles que achem que sapato bom é só Schutz, Capodarte e Carmen Steffens. Eu conheço tudo isso, mas não é para meu bolso. No máximo Datelli e olha lá! Uso muito sapato dessas lojas onde compro e também da Paquetá, que aqui no sul é uma multimarcas de sapato bem  conhecida, vende Cravo & Canela, Lilly’s Closet, dentre outros. E tem sapatos bons dessas marcas também.

Esse post não é para reclamar da minha vida financeira,por não ter acesso às marcas caras. Até porque, se eu comprasse menos nas lojas que citei, juntava o dinheiro e comprava roupas de marca, mas em menor (bem menor) quantidade. E eu gosto de ter um monte de roupas, pra poder trocar. Mas isso é a minha opinião.

E você, prefere ter roupas  e sapatos só de marcas famosas, independente da quantidade ou não liga, e compra se gostar? Prefere ter várias peças, ao invés de variar pouco as peças de grife? 

 

 

 

Você se arruma para os outros gostarem de você ou porque você gosta de fazer isso?

Essa semana conheci uma música da Colbie Caillat, que se chama ” Try”. No vídeo, aparecem mulheres de todas as idades, umas bem jovens, outras senhorinhas. No início do clipe, elas estão maquiadas, algumas com peruca e  aplique para os cabelos parecerem mais volumosos.

Mas o clipe chama atenção mesmo é que até a própria cantora, que aparece igual a uma boneca de tão linda no início do clipe, depois aparece sem efeitos de imagem e tira a maquiagem totalmente e se mostra natural, com pele cheia de imperfeições, e cabelos nada glamurosos.

O clipe:

 

E o clipe nos faz pensar, se nos arrumamos apenas para que gostem de nós, ou se é porque gostamos. No meu caso, é porque gosto. Mas não nego que gosto de receber a aprovação dos outros, embora não necessite disso para viver. Mas temos que lembrar que ainda há muitas mulheres obcecadas por aprovação alheia e que não medem esforços para isso.

Já li relatos de mulheres que acordam antes dos maridos, para que eles não as veja sem maquiagem, despenteadas e desarrumadas. Deus me livre disso! De vez em quando é preciso deixar a pele respirar sem maquiagem, o cabelo secar naturalmente, usar uma sapatilha invés do salto alto.

É preciso desopilar de vez em quando e aprender que podemos nos arrumar sim e que é bacana isso, mas que as pessoas tem que gostar da gente sem maquiagem, sem roupas, sem cabelo arrumado, sem perfume caro. Porque é assim que nascemos e essa é nossa real aparência. 

Todo o resto é complemento pra sua beleza que já existe!

Viu que bacana a música e o clipe? Gostou?